sábado, 12 de dezembro de 2009

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

um peixe na rede
sente-se menos balançado
quando toca Gilbertos
tem sonhos pra todo lado

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Algum lugar
Ponto de exclamação
Algum suspiro de ar
Ah!
Onde você é
quero estar

algo algum
star ar ah!
Em imagens
Pontos de imaginação
Onde você seja
querostar

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

lentes (de) mentes
desejam a palavra torta
atudotirabotafererima
para dar a mesma sina
da hóstia

domingo, 18 de outubro de 2009

Flor silenciosa

Flor silenciosa
Tua beleza grita
O vento que te balança
Sou eu

(...)

Flor
Talvez
Um dia seja teu suspiro
Ou um verso que ti comova

Mas antes
Mais vale um beijo;

Solidão

Eu
Rio
Você
Chuva.

Águas que correm
em direções solitárias
e se encontram salgadas
percorrendo a face
dos rostos nichos
à procura da voz calada
molhando de seca
cidades fantasmas
onde jaz o coração.
____________________________________________________
poema antigo...

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

2 poemas numa noite

Saudade

A saudade é um vazio de mar
Que nos molha os pés de nada
E nos leva tudo

___________________________________________________

Para uma menina bordada de flor

Hoje derramei tinta dos olhos
Ao tentar bordar de flores
-em linhas-
As ondas do teu cabelo

É que no instante
Em que tuas mãos tocam teus olhos
Os meus foram tocados em segredo.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Saudade

Parte de mim
Num start
Visita marte
Volta com arte
Como se algo faltasse


_________________________
*O poema ai da compressa tem como título Calma
**Esse de cima mais um poema curto... ai curtiram? hehehe outra piada sem pio hehehe
***Escutando Paulinho Boca de Cantor - Valeu ... música do poeta Paulo Leminski... achei um disco com as músicas dele... o nome é "O bandido que sabia latim"
****Valeu!

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Poemas curtos

Com pressa
Fiz um poema avesso
Para compressa
No ponto de (des)espero
____________________

A fé
é uma caneta
que rabisca no escuro
__________________________________________
*Estou de olho nos blogs de quinta vou comentar...
** Rita Lee - Nem luxo nem lixo

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Tudo é interior

Amor,
Palavra forte
Para um verso fraco.

Ainda assim,
Diminuído,
Comprimido,
Limitado nesse espaço pouco
- de ser verso/diverso-
Para um sentimento tanto,
Ainda assim,
Ouso.
(Fortaleza, 17.09.09)
_____________________________________________
*não sei colocar título, fica esse...
**escutando e vivendo os versos de Zé ramalho - Vila do sossego
***Carlim, ajudou a colocar esses links ai... obrigado! aproveitem... tb vou desfrutá-los... se tanta pressa...
**** sem piadas hj hehehehe
*****abraços e otima semana, moçada!

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

para meus amigos

nossos rumos se cruzaram
no instante em que nossos ramos se tocaram
desde então
quantos cantos foram entoados?
quantas vezes misturamos nossa dores e alegrias?
quantas vezes, fugindo da poeira da vida urbana,
fugimos para tragar a fumaça de nossa poesia?
meus irmãos
meus companheiros

por isso
celebro-nos
porque somos fortes
porque somos verdadeiros
______________________________________
*publicado na sexta porque o Sujeito anda por aí. O certo é quinta, sei! Mas...
**Agradecendo os comentários e celebrando essa união dos blogs de quinta... é de quinta mas a carne é de primeira...
***Ednardo - Fenix

domingo, 23 de agosto de 2009

Teu perfume

Teu perfume
Impregnado na tinta da caneta
Lembrou teu corpo no leito umedecido
[pelo nosso suor
Tornando a hora mais amena

Teu perfume
Impregnado na tinta da caneta
Dentro dessa manhã preguiçosa
Ainda me provoca delírios.
(Fortaleza, 14 de agosto de 2009)

---------------------
*Para aquela que tece meus pensamentos...
**Paulinho da Viola - Bela manhâ

O beijo da flor

Cores, luzes, sons, sentidos... sentidos! O sinal de fumaça alertava: - Prepare-se! Destino ilusório!

Parecia perdido, nem vendo para o mundo. À medida que o show avançava despertava para os prazeres da alma de maneira natural, solto. Parecia... Os sentidos floriam. Tudo era gosto.

Ela se apresentou a ele na hora certa, à sua hora, uma hora íntima. A conversa teve poucas linhas, na verdade quase nenhuma. Primeiro como de costume, a apresentação, depois o beijo. Costume?! Mas é que algo parecia mais para eles, e o resto totalmente desnecessário. Todo algo tem seus pormenores. Descrevê-los... talvez... a título de curiosidade... mas é que também me é curioso... de maneira que prefiro ficar em igualdade com você... curioso!

Mentira.

O destino se fez mais uma vez. O importante é o que guardou, aquilo que fica na ilha que temos, aquela habitada por nós. Tudo é interior. Ela, acessa, o acendeu com um beijo. Um beijo! E o beijo, trem de embarque apenas, permitiu o mergulho no ser.
____________________________________________________________________________
*Esse texto foi revisto e publicado hoje... quando foi publicado pela primeira vez teve um fato que me chamou atenção: uma árvore na av. Bezerra de Menezes por força de mãos que constroem teve seu destino consumado, o chão.
**"Riders run dry but there's no line on his brow - Os rios secarão mas não haverá uma ruga em sua testa" (David Gilmour - A Pocketful of stones do disco On an Island 2006)